VOCAÇÃO :“TESOURO ESCONDIDO” E A “PÉROLA ENCONTRADA”.


autor: pe. Mattai

“O Reino dos Céus é semelhante ao tesouro escondido no campo; um homem o acha e torna a esconder e, na sua alegria, vai, vende tudo o que possui e compra aquele campo. O Reino dos Céus é ainda semelhante ao negociante que anda em busca de pérolas finas. Ao achar uma pérola de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra” - Mt 13,44-46

Caros Vocacionados! Saudações em Cristo Jesus. Vocês já pensaram na possibilidade de encontrar um tesouro ou uma pérola preciosa? Que sentimentos os invadiriam? O que vocês fariam com toda essa riqueza, caso a encontrasse? Certamente, com tanta riqueza, muitas dúvidas surgiriam diante de vos.

A vocação é um tesouro escondido. Por que? Porque no Evangelho, Jesus nos apresenta o seguinte: Como o homem da parábola que encontra a parábola preciso vende tudo para poder adquirir aquele campo e poder tomar posse da pérola. Assim cada vocacionado está à procura da pérola. O homem que encontrou o tesouro não estava à procura do mesmo, ele não estava caçando tesouros em qualquer lugar, mas, o encontrou e por isso que se tornou único e precioso.

O tesouro significa a abundância de dons que se recebem juntamente com a vocação. Este tesouro apresentado por Jesus é o Reino, mas é também a nossa vocação. Já pensou nisso? Qual foi o sentimento daquele que encontrou o tesouro? Diante dessa grande descoberta nasce o discernimento: Eu tenho um tesouro (uma vocação)! O que vou fazer com este tesouro (com esta vocação)?

Deus passa pela vida de cada pessoa em circunstâncias determinadas de idade, trabalho, vivencia social e familiar. Passa e chama a cada um, como chamou os apóstolos.

A vocação é, então, este tesouro, que às vezes nem buscamos, mas que Deus coloca à nossa frente gratuitamente. A vocação é este dom gratuito de Deus e este presente que nos é apresentado pela ação Dele por meio das pessoas, dos acontecimentos e na nossa história.

“Onde está teu tesouro, aí estará também teu coração” (Mt 6,21)

A Vocação a que Deus nos chama é um tesouro pelo qual exige renúncia de todos os bens deste mundo. Essa vocação de seguir Jesus, Deus-conosco, que é o nosso supremo tesouro, sempre nos implica em uma mudança na nossa conduta de vida. Estamos conscientes do chamado que Deus nos faz? Quando Deus convoca, é preciso responder imediatamente. Não podemos ficar escondendo o tesouro. Há oportunidades que não se repetem nunca mais. É preciso perscrutar. É preciso cultivar uma vida de oração e espiritual. Se Jesus nos chama, também ele nos dá as graças necessárias para segui-lo durante a nossa vida.

“Jesus dizia a todos: “Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz cada dia e siga-me. Pois aquele que quiser salvar sua vida a perderá, mas o que perder sua vida por causa de mim, a salvará” (Lc 9, 23-24).

Seguir uma vocação é buscar incansavelmente uma resposta aos próprios anseios e desejos. Todo homem é chamado a decidir-se, a assumir os valores descobertos em si e não poupar esforços para alcançar os objetivos propostos. Esta é nossa busca e a Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia com toda sua Tradição e espiritualidade abre as portas para cada um que busca viver a vocação, seja ela como padre secular (casado), ou monge (celibatário). Adentrar na Tradição oriental ortodoxa é vivenciar os primórdios do cristianismo e a Tradição apostólica.

Desde nossa fundação aqui no Brasil como Igreja de missão, estamos dando a oportunidade de cada vocacionado a emergir na riqueza e na vivência do Evangelho pregado pelo apóstolo Paulo em Antioquia. Assim respondamos o chamado de Jesus que nos diz constante:

“Vem e Segui-me”!