São Mateus, o eremita


18 de setembro - Nossa Santa Igreja Sirian Ortodoxa comemora o dia de Mor Mathai, o Eremita, monge do século IV.

Mor Mathai ou São Mateus, nasceu no início do século IV, na cidade de Amid ou em uma vila próxima. Pouco se sabe sobre sua infância.
Mor Mathai era um monge naquela região quando a perseguição anticristã
de Juliano, o apóstata, ocorreu.
Em 361, Mor Mathai e outros monges foram forçados a fugir para Nínive, onde fundaram um eremitério na montanha Alfaf nas planícies de Nínive. Foi durante esse tempo que ele conheceu o príncipe São Behnam, filho de Sencharib, enquanto estava em uma viagem de caça. Mathai ensinou-lhe os princípios do cristianismo e Behnam se tornou um discípulo de Mattai.
Impressionado com seus ensinamentos, Behnam voltou para sua mãe e a convenceu a deixar ele levar sua irmã Sara, que tinha lepra (hanseníase), ao santo. Ela foi curada pelo santo, e depois do milagre, tanto Sara como Behnam foram batizados por ele, junto com os quarenta companheiros de Behnam.
Ao saber da conversão de seus filhos, o rei Sencharib ficou com raiva e os ameaçou com punição severa se não renunciassem a fé Cristã. Behnam e Sarah se recusaram a renunciar a sua fé e tentaram escapar com alguns de seus amigos, mas os soldados do rei os encontraram e os mataram. Ambos receberam a coroa do martírio.
Mais tarde, um espírito maligno possuiu o rei. Isto atormentou-o com dor e medo. A preocupada rainha mandou chamar São Mathai, sabendo em seu coração que o santo realmente trouxera a cura para a filha. Quando São Mathai chegou, ele orou pelo rei e o Senhor imediatamente o curou. O rei ficou muito alegre por estar livre do terrível espírito maligno e ele e a rainha ouviram às palavras de São Mathai sobre todas as maravilhas do Deus verdadeiro. Tanto o rei quanto a rainha acreditaram em nosso Senhor Jesus Cristo e foram batizados.
Consequentemente, toda a cidade do reinado passou a acreditar em nosso Senhor Jesus. Assim, para demonstrar sua sua gratidão, o rei construiu um mosteiro para São Mathai na montanha Alfaf, a 35 km a nordeste de Mosul, Iraque, onde Mor Mathai curou sua filha. Os corpos de seus filhos, santos Behnam e Sarah foram sepultadas nela.
Ainda hoje muitas curas e milagres são atribuídos a São Mateus, encontrando-se algumas de suas relíquias em nosso referido mosteiro, um dos mais antigos da história do cristianismo, aonde anualmente em sua festa são feitas grandes peregrinações de fiéis de nossa é de outras igrejas para comemorar o dia do santo.
Sua Eminência Mor Tito Paulo é um particular devoto do santo eremita, podendo ver abaixo uma foto em que nosso arcebispo se encontra em umas das grutas por onde viveu São Mathai.
Que suas orações sejam uma fortaleza para nós!