Sobre os anjos

Autor: S.S. Mor Ignatius Zakka I - 122º Patriarca de Antioquia e Todo Oriente

1 - Introdução

Por todo o Livro Sagrado, de Gênesis a Apocalipse, e em todos os eventos importantes nele, lemos sobre seres espirituais chamados de "anjos". Aqueles anjos testemunharam a criação do homem, acompanharam-no em sua glória e humilhação, em sua ascensão e queda, em sua pecaminosidade e justiça. Eles acompanharam o Senhor, Deus, ao longo do caminho para a redenção.

2 - Natureza dos Anjos

Os anjos são seres espirituais celestiais que possuem intelecto. Eles foram criados por Deus Todo-Poderoso no início da criação para glorificar ao Senhor, louvá-lo e ministrá-lo, como pode ser inferido do discurso de Deus a seu servo Jó:

“Onde estavas tu quando eu lançava os fundamentos da terra ...? Quando as estrelas da manhã cantaram juntas e todos os filhos de Deus gritaram de alegria?” (Jó 38: 4-7).

3 - Aparência

O autor da Epístola aos Hebreus descreve os anjos dizendo:

“Não são todos espíritos ministradores?” (Heb. 1:14) “Quem torna os seus anjos espíritos, e os seus ministros uma chama de fogo” (Heb. 1: 7, Salmos 104: 4).

Acredita-se que sejam almas puras incorpóreas. Também se acredita que, embora sejam espíritos, eles possuem um corpo aéreo invisível e gentil, sem necessidades humanas comuns. “O semblante” do anjo, que rolou a pedra da porta do túmulo do Senhor depois de sua ressurreição “era como um relâmpago e sua vestimenta branca como a neve” (Mt 28-3).

Os anjos mencionados, no entanto, no Livro Sagrado aparecendo com diversos corpos e várias formas, possuem corpos temporários assumidos para tranquilizar as pessoas e encorajá-las a falar com elas. O apóstolo Paulo diz sobre esses corpos: “É semeado um corpo natural; é criado um corpo espiritual. Existe um corpo natural e existe um corpo espiritual. E assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente; o último Adão foi feito um espírito vivificador….
O primeiro homem é da terra, terreno: o segundo homem é o Senhor do céu. Como é o terreno, tais são também os terrestres; e como é o celestial, tais são também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, devemos trazer também a imagem do celestial. Agora digo isto, irmãos, que carne e sangue não podem herdar o reino de Deus; nem a corrupção herda a incorrupção ” (1 Cor.15-44-50).

Jesus Cristo descreve os santos crentes que herdarão seu reino celestial eterno, dizendo:
"Mas aqueles que são considerados dignos de obter aquele mundo e a ressurreição dos mortos, nem se casam, nem se dão em casamento: Nem podem mais morrer: porque são iguais aos anjos; e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição ”. (Lucas 20: 35-36).

4 - Número

Os anjos não nascem. Eles não se casam nem são dados em casamento. Eles não procriam, nem envelhecem, nem morrem. Sua morada é o céu. Eles são enviados como mensageiros à terra para ministrar à humanidade.

Deus os criou em grandes números que somente o Deus Todo-Poderoso conhece. O Salmista Disse:

“Os carros de Deus são vinte mil” (Salmos 68:17).

Eliseu, o profeta, disse ao seu servo que ficou assustado ao ver o grande número de seus inimigos: “Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. E Eliseu orou, e disse: Senhor, Rogo-te que abra os seus olhos, para que veja. E o Senhor abriu os olhos do jovem; e ele viu: e eis que a montanha estava cheia de cavalos e carros de fogo ao redor de Eliseu ” (2 Reis 6 : 16-17)

Daniel, o profeta, disse: “Eu olhei até os tronos serem derrubados, e o Ancião de dias se sentou, cuja vestimenta era branca como a neve, e os cabelos de sua cabeça como a pura lã: Seu trono era como a chama de fogo, e suas rodas como fogo ardente. Uma torrente de fogo fluía e saía de diante dele: milhares de milhares serviam a ele, e dez mil vezes dez mil estavam diante dele ” (Dn 7: 9, 10).

O Senhor Jesus disse a seu discípulo Simão Pedro: “pensas que não posso orar agora a meu pai, e ele em breve me dará mais de doze legiões de anjos?" (Mat. 26:53). E o autor do Apocalipse disse:
“E olhei e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono (…) e o número deles era dez mil vezes dez mil e milhares de milhares" (Apo. 5:11).

Os pais da Igreja, portanto, deduziram que o número de anjos era tão grande e superava o número de seres humanos e todos os outros seres em todas as idades.

5 - Poderes, habilidades e funções

Os anjos superam os seres humanos em conhecimento, aprendizado, poder e habilidade. Devido à perfeição de sua natureza, eles são capazes de prever eventos futuros inevitáveis. Eles têm ampla sabedoria, mas não são oniscientes. Só Deus é onisciente.

O salmista disse em sua exaltação do Criador:

“O que é o homem, para que te lembres dele? e o filho do homem, para o visitares? Pois tu o fizeste um pouco menor do que os anjos, e o coroaste de glória e honra”. (Salmos 8: 4-5).

O salmista se dirige aos anjos dizendo:
“Bendito seja o Senhor, vós, seus anjos, que se sobressaem em força, que guardam os seus mandamentos, dando ouvidos à voz da sua palavra”. (Salmos 103: 20).

Os anjos adoram a Deus, prostram-se em adoração a ele e continuam, por assim dizer, louvando-o dia e noite. Eles estão sempre prontos para cumprir sua vontade e seus mandamentos. É por meio dos anjos que Deus, o invisível, entra em contato com o homem. “Ninguém jamais viu a Deus” (João 1:18). E os anjos de Deus estão diante dele o tempo todo. Seus rostos estão cobertos por suas asas, da maneira como foram vistos pelo profeta Isaías (Is. 6: 1-4). Deus envia anjos à nossa terra para cuidar dos crentes, suprindo suas necessidades, protegendo-os e resgatando-os de seus inimigos espirituais ou corporais. O salmista se dirige aos crentes, dizendo: “Pois Ele dará aos seus anjos o comando de ti, para te guardar em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas mãos, para que não tropeces numa pedra ” (Salmos 91: 11-13) e "o anjo do Senhor rodeia os que o temem e os livra" (Salmos 34: 7).

O Livro Sagrado está cheio de serviços prestados pelos anjos à humanidade em cumprimento aos Mandamentos de Deus.

Quando Deus expulsou o homem do Jardim do Éden ”Ele colocou Querubins para guardar o caminho da árvore da vida” (Gênesis 3:24).

O poder dos anjos e sua autoridade, que é derivada de Deus, são manifestados aqui. “Quando o anjo estendeu a mão sobre Jerusalém para destruí-la” (2Sm.24-16), e em (2Rs.19: 35) “o anjo do Senhor saiu e feriu no acampamento dos assírios uma centena quatro pontos e cinco mil ”.

O Senhor Deus investiu os anjos com autoridade para controlar os elementos materiais, gerenciá-los e guardá-los, mas Deus nunca permitiu que mudassem as Leis ou Princípios estabelecidos por Deus, nem mesmo Deus permitiu que mudassem quaisquer procedimentos sem Seu consentimento.

Nenhum obstáculo material ou humano, nenhuma força natural ou lei pode impedir o cumprimento das tarefas atribuídas aos Anjos por Deus. O Senhor enviou Seu anjo a seus servos Sadraque, Mesaque e Abednego e os libertou da fornalha ardente na Babilônia. (Dan.3: 25-28) por fazer o fogo não ter poder. Deus também libertou seu servo Daniel da cova dos Leões “O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, para que não me ferissem, porque antes dele se achou inocência em mim”. (Dan. 6:22).

No Novo Testamento, lemos em Atos dos Apóstolos como o sumo sacerdote judeu e os saduceus impuseram as mãos sobre os apóstolos e os colocaram na prisão comum e como o anjo do Senhor à noite abriu a porta da prisão e os trouxe e disse: “Vai ficar e falar no templo ao povo todas as palavras desta vida”: (Atos 5:19:20).

Quando o rei Herodes colocou as mãos sobre o apóstolo Pedro, ele o colocou na prisão e o entregou a quatro quarteirões de soldados para mantê-lo ... Pedro estava dormindo entre dois soldados acorrentados por duas correntes. “E os guardas diante da porta mantinham a prisão. E eis que o anjo do Senhor veio sobre ele, e uma luz resplandeceu no cárcere; e ele, ferindo de lado a Pedro, o levantou, dizendo: Levanta-te depressa. E suas correntes caíram de suas mãos. E o anjo disse-lhe: Cinge-te e calça as tuas sandálias. E foi o que ele fez. E disse-lhe: Lança a tua roupa sobre ti e segue-me. E ele saiu e o seguiu; e não sabíamos que era verdade o que o anjo fez; mas pensei que teve uma visão. Depois de passarem pela primeira e pela segunda ala, chegaram ao portão de ferro que conduz à cidade; que lhes abriu por sua própria vontade; e eles, saindo, iam passando por uma rua; e imediatamente o anjo partiu dele. E quando Pedro voltou a si, disse: Agora eu tenho certeza de que o Senhor enviou seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de toda a expectativa do povo dos judeus ... ” (Atos 12: 1-11).

O anjo da guarda

A providência de Deus e seu amor pela humanidade desejaram que ele designasse um anjo para cada crente para guardar sua alma e corpo e estar com ele desde sua concepção no ventre de sua mãe até que sua alma deixe seu corpo, quando seu espírito retorna a Deus, seu criador. Alguns acreditam que a criança, ainda no ventre de sua mãe, é guardada pelo anjo da guarda de sua mãe. No minuto em que o bebê nasce, um anjo da guarda é designado para ele.
O anjo da guarda acompanha o crente nesta vida e transmite sua oração a Deus. Ele intercede junto a Deus Todo-Poderoso por ele.

O anjo da guarda guia o crente pelos caminhos da justiça para cumprir a vontade de Deus e evitar assim os caminhos da perdição. O céu é a morada do anjo da guarda. Ele é capaz, no entanto, de correr para a terra em pouco tempo para cumprir sua missão. Se fosse possível atribuir emoções humanas, como alegria e tristeza, aos anjos, teríamos sentido sua simpatia pelos seres humanos durante as condições flutuantes de a vida deles. O Senhor disse “Da mesma forma, eu vos digo que há alegria na presença dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende” (Lucas 15:10). Os anjos tentam manter os crentes longe do pecado. Eles lutam contra os espíritos malignos por eles e os protegem das tentações do diabo e dos desastres e calamidades causados ​​por ele. Os anjos fazem isso orando pelos crentes. Senhor Jesus diz: “Vede, não desprezeis a nenhum destes pequeninos; Pois eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêem a face de meu Pai que está nos céus ”(Mateus 18:10).

A doutrina de ter um anjo da guarda designado para cada crente estava entre as doutrinas do Antigo Testamento, portanto lemos sobre Jacó, o pai das tribos abençoando os dois filhos de José dizendo: “O anjo que me redimiu de todo o mal, abençoe os rapazes ”(Gen.48: 16). O autor de Eclesiastes relatou “Não permitas que tua boca faça pecar a tua carne; e não digas diante do anjo que foi um erro ”(Ecl.5: 6).

O anjo da guarda permanece com o crente até que sua alma deixe seu corpo. Os anjos carregam as almas dos justos, subindo com eles ao céu de acordo com as palavras do Senhor na parábola do homem rico e Lázaro ”o mendigo morreu e foi carregado pelos anjos ao seio de Abraão” (Lucas 16:22).

Os anjos admitem espíritos virtuosos no paraíso para se unirem aos espíritos dos justos, onde aguardam a Segunda Vinda do Senhor para se unirem a seus corpos e herdarem o reino dos céus. Alguns teólogos sugerem que as almas das pessoas más geralmente são carregadas, após deixarem seus corpos, pelos demônios para lugares escuros onde aguardam a agonia do dia do juízo final, quando serão julgados e sofrerão o castigo eterno. Alguns outros teólogos afirmam que apenas os anjos bons têm o direito de levar as almas dos justos e dos maus para o céu ou para as trevas.

A APARÊNCIA DOS ANJOS E A ANÁLISE DOS COMANDOS E ADVERTÊNCIAS DE DEUS

O autor da Epístola aos Hebreus relatou:
"Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para ministrar por aqueles que serão herdeiros da salvação?" (Heb.1: 13-14).
Ao longo de seu ministério, os anjos apareceram em diversas formas e transmitiram mensagens diversas para a humanidade. Três anjos apareceram a Abraão e eram homens substanciais a quem Abraão ofereceu manteiga e leite e o bezerro, que ele havia vestido “e ele ficou ao lado deles debaixo da árvore e eles comeram ... e um dos anjos disse-lhe: Eu vou certamente voltará para ti segundo o tempo da vida; e eis que Sara, tua mulher terá um filho ”(Gênesis 18: 1-10). E isso se cumpriu.

Dois anjos vieram a Ló ... e ele lhes deu um banquete e assou pães ázimos. Eles ordenaram que ele deixasse Sodoma porque Deus fez chover enxofre e fogo sobre ela. (Gênesis 19: 1-3). O autor da Epístola aos Hebreus diz: “Não te esqueças de hospedar estranhos; pois assim alguns têm entretido anjos desprevenidos ”. (Heb.13: 2).

Tão interessantes são as narrativas que falam da aparência dos anjos aos homens; uma delas é aquela na visão de Jacó, que sonhou e viu uma escada colocada na terra e o topo dela alcançava o céu, e viu os anjos de Deus subindo e descendo nela (Gn 28:12), o outros são a narrativa da luta de Jacó com o anjo do Senhor e o triunfo de Jacó sobre ele: e a narrativa do anjo que impediu Bala'am, filho de Beor de amaldiçoar aqueles abençoados por Deus e como a boca do asno de Balaão era aberto (Números 22: 23-24).

Uma das aparições significativas dos anjos é a do arcanjo Gabriel, o profeta Daniel, quando lhe falou do futuro de seu povo anunciando a vinda do Messias, fixando a data da vinda deste grande redentor 500 anos anteriormente (Dan. 8: 16,9: 21).
Sabemos, por meio da conversa que ocorre entre Gabriel, o Arcanjo e Daniel, o profeta, que um anjo é designado para cada povo e cada cidade (Dn 10: 13,20).

Quinhentos anos depois de seu aparecimento a Daniel, o próprio Gabriel apareceu a Zacarias, o sacerdote no templo do incenso, e o anunciou do nascimento de seu filho João, o Batista. Gabriel apareceu também à Virgem Maria em Nazaré e anunciou-a da concepção divina do Espírito Santo e de dar à luz o Senhor Jesus, o Salvador, que absolveria o seu povo dos seus pecados.
Foi Gabriel quem apareceu a José, que estava noivo da Virgem Maria e que lhe ordenou que pegasse a criança e sua mãe e fugisse para o Egito porque Herodes estava tentando matar o menino.

Os anjos ministraram ao Senhor Jesus no deserto após seu jejum, seu batismo e sua tentação. Os anjos apareceram ao Senhor Jesus no jardim de Gesthemani antes de suas Paixões, fortalecendo-o.

Foi um anjo que rolou a pedra do túmulo do Senhor e sentou-se sobre ela após a Ressurreição do Senhor dentre os mortos e anunciou as mulheres da Ressurreição do Redentor. (Mat. 28: 2).

Os anjos estiveram e permanecerão para sempre ao serviço dos Santos, encorajando os confessores e mártires a aderirem e serem firmes em suas confissões.
Classificação dos Anjos

Os anjos existem em uma disposição ordenada, de acordo com sua posição e função. Eles são divididos em grupos organizados, classificações e status. Com base nos ensinamentos da Bíblia Sagrada e na tradição eclesiástica, os Santos Padres tiveram nove nomes dados a três categorias deles: alto, médio e baixo.
A primeira categoria inclui os Querubins (Gênesis 3: 23-24), os Serafins (Is.6: 1-4) e os Tronos (Colossenses 1: 14-16). A segunda categoria inclui anjos, autoridades e poderes (1 Pe 3:22) e a terceira categoria inclui soldados, arcanjos e anjos (1 Pe. 3:22). Essas três categorias referem-se às três categorias cristãs do sacerdócio, que são episcopado, sacerdócio e diaconato.

Em seu livro intitulado “Al-Rutba Al-Samawiya e Al-Rutba Al-Kawniya” (classificação celestial e eclesiástica) Iwannis de Dara (+860) afirma o seguinte:
“Seres articulados são dois: Anjos e humanos. Os anjos são espirituais e também o seu sacerdócio, que é puramente espiritual e transcende este mundo.
Como os anjos não mudam em termos de idade e não experimentam juventude e velhice, portanto, seu sacerdócio deve ser estático, sem aumento, diminuição ou mudança. Nem mudam de uma categoria para outra. Os seres humanos, porém, estão ligados ao seu corpo em constante mutação, que cresce, amadurece, envelhece e depois morre e, como tal, foi-lhes concedido o tipo de sacerdócio que lhes é adequado.
Nomes de alguns anjos

No Livro Sagrado, apenas quatro Arcanjos do nível mais alto são mencionados:

1) Gabriel cujo nome significa a grandeza e poder de Deus (D: 8: 6, 9:10). Ele
é o anjo que disse de si mesmo “Eu sou o Gabriel, que está na presença de Deus” (Lucas 1: 19). Ele é o Anunciador do mistério da Encarnação e da Redenção.
2) Miguel (Dan. 10:13 e 21-12: 1) cujo nome significa quem se assemelha a Deus.
Ele é o Arcanjo que chamará os mortos em Cristo para ressuscitar (1Tess. 4:16).
3) Rafael cujo nome significa a luz de Deus. (Tobias 12:19).
4) Ariel (Esdras 2-4,10).
Anjos maus caindo no pecado

Os anjos possuem livre arbítrio. Eles foram levados à tentação. Alguns deles cometeram o pecado de rebelião e ofensa a Deus. Os anjos, firmes em seu compromisso com Deus Todo-Poderoso, eram chamados de Santos Anjos ou os anjos escolhidos, porque Deus, o onisciente, sabia que eles seriam firmes em obedecê-lo. Os outros anjos, porém, que eram desdenhosamente orgulhosos e rebeldes, caíram com seu chefe no Hades e foram chamados de anjos maus. Seu trabalho é lutar ferozmente contra as pessoas, fazer mal a elas e tentá-las. Eles são, assim como os anjos bons, organizados hierarquicamente.
Isiah, o Profeta se referiu ao evento da queda dos anjos maus dizendo:
“Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como estás reduzido ao chão, o que enfraqueceu as nações!
Pois disseste em teu coração: Subirei ao céu, exaltarei meu trono acima das estrelas de Deus: Também me assentarei no monte da congregação nos lados do norte: Subirei acima das alturas do nuvens; Vou ser como o mais alto.
No entanto, serás levado para o inferno, para os lados da cova ”. (Is 14: 12-15).

Na Epístola de Judas, lemos sobre a punição do Senhor aos anjos rebeldes.
“E os anjos que não guardaram o seu primeiro estado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os reservou em cadeias eternas nas trevas para o julgamento do grande dia”. (Judas 1: 6). E o Apóstolo Pedro diz:
“Porque, se Deus não poupou os anjos que pecaram, antes os lançou no inferno e os entregou nas cadeias das trevas, para serem reservados para o juízo:” (2 Pedro 2: 4).

Um grande número de anjos de todas as classes e propriedades são anjos caídos. Seu príncipe é chamado de Satanás, que significa tentador, queixoso, enganador e acusador. Ele queria ser igual a Deus de acordo com Isias, o Profeta (IS 14:12).
Ele é chamado de Lúcifer, que é o adversário, o rebelde e o insurgente. Muitos atributos foram dados a ele. Alguns dos quais são o Deus de Ekron, Baal-zebub, que é originalmente o maior Deus dos filisteus (2 Reis 1: 2), o ímpio, e Belial, o príncipe deste mundo, o príncipe que domina o firmamento.

Ele é um assassino, um mentiroso, o criador da Hipocrisia e o pai da serpente e do dragão.
Os demônios têm muito do que é verdade sobre os anjos, pois são seres incorpóreos e dotados de poder, inteligência e habilidade, mas tais características se tornarão más quando o anjo cair e, como tal, estarão comprometidos com o mal.
Os anjos maus odiavam o homem porque ele ganhou o favor de Deus, que o criou para ser um ser racional. Ele concedeu-lhe domínio sobre todas as criaturas, daí a tentação do homem por Satanás com a ajuda da serpente no Jardim do Éden e a queda do homem no pecado.
Desde a queda do homem no pecado, Deus colocou inimizade entre a semente da mulher e a alma da serpente, isso é Satanás. Esta inimizade é uma graça de Deus concedida ao homem porque por meio dessa inimizade as más intenções de Satanás para com a humanidade foram reveladas e Deus declarou Satanás como um inimigo exposto, ansioso para se disfarçar a fim de destruir a humanidade.
A guerra entre o homem e Satanás nunca cessou. O apóstolo Paulo diz, portanto:
“Pois não lutamos contra carne e sangue, mas contra principados, contra potestades, contra os príncipes das trevas deste mundo, contra a maldade espiritual nas alturas” (Ef.6: 12).
Número

Tão grande é o número de demônios. Eles atacam o homem em grande número, conforme relatado no incidente da cura do endemoninhado gadareno de quem o espírito maligno foi retirado pelo Senhor. E quando o Senhor lhe perguntou qual era o seu nome, ele respondeu.
“Meu nome é Legião, pois somos muitos” (Marcos 5: 8). O termo legião significa uma unidade do exército composta por até seis mil soldados. Isso se refere a este homem ter sido vítima de seis mil posses demoníacas. E imediatamente, o Senhor deu-lhes licença e os espíritos imundos saíram e entraram na manada de porcos e a manada correu violentamente por um lugar íngreme e foi sufocada.
Poder

Os demônios têm grande poder material e imaterial terrível. A diferença em seu poder se manifesta na influência que exercem sobre a mente das pessoas e nas formas de maldade e evasão que adotam para levar o homem a cair no pecado e causar destruição no mundo. Eles diferem em patentes e posições. O Senhor diz:
“Quando o espírito imundo sai do homem, ele anda por lugares áridos em busca de descanso; e não encontrando nenhuma, diz ele, voltarei para minha casa de onde saí. E quando ele chega, ele o encontra varrido e guarnecido. Então vai e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele; e eles entram e habitam ali; e o último estado desse homem é pior do que o primeiro ”(Lucas 11: 24-26). O Senhor também disse sobre um tipo de demônio ou sobre demônios em geral: “Porém, este tipo não sai senão por oração e jejum” (Mt 17:21).

Os demônios possuem um poder que os capacita a fazer grandes maravilhas, de modo que fazem descer fogo do céu. (Rev. 13:13, 16:14). Satanás ajuda seus seguidores - feiticeiros, adivinhos e outros - a fazer milagres e predizer o futuro, ou o que chamamos de bruxaria e adivinhação. Essas atividades incluem necromancia, que na verdade é consultar o próprio Satanás, porque Satanás não tem autoridade sobre a alma dos mortos. É Satanás quem fala em nome da alma imitando aquele homem, dependendo de sua familiaridade anterior com ele. Deus condena a magia com todas essas atividades demoníacas porque é um pecado e uma prática de Satanás.

O poder de Satanás é duplicado por meio de seus esquemas enganosos, pois ele tenta esconder e disfarçar os homens enganadores fazendo-os pensar que ele não existe. Os demônios, na verdade, são seres espirituais, cada um dos quais possui um “eu” existente. Quando Jesus Cristo curou aqueles que estavam possuídos por demônios, Ele costumava ordenar a cada um como um ser individual e um ser essencial para sair do homem e nunca mais retornar (Mt 4:24, Marc 1:32).

O Senhor triunfou sobre Satanás quando ele tentou tentá-lo no deserto.
Deus nos deu poder para triunfar em nosso Senhor Jesus Cristo e nos recomendou orar ao pai dizendo “E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal” (Mateus 6:13). O Senhor aniquilou o poder de Satanás exercido sobre nós por sua Santa Cruz. No momento em que desenhamos o sinal da cruz em nossas testas, os demônios fogem assustados e assustados. O Senhor diz:
“Eu vi Satanás cair do céu como um relâmpago” (Lucas 10:18) e ele disse antes de Suas Paixões: “Agora é o julgamento deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo” (João 12 : 31).
Esses demônios sofrerão agonias eternas no dia do juízo final. O autor do Apocalipse os viu derrotados e escreveu sobre eles dizendo:

“E houve guerra no céu: Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão; e lutou o dragão e seus anjos, E não prevaleceu; nem foi seu lugar encontrado mais no céu. E foi lançado fora o grande dragão, aquela antiga serpente chamada diabo e Satanás, que engana o mundo inteiro: foi lançado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele ”. E ouvi uma grande voz que dizia do céu: Agora é vinda a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque está derrubado o acusador de nossos irmãos, que os acusava diante do dia de nosso Deus e noite. E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e eles não amaram suas vidas até a morte ”. (Rev.12: 7-11).
Conclusão

Estamos rodeados de seres espirituais. Eles são anjos escolhidos, que são espíritos santos e anjos maus, que são espíritos malignos ou diabos e demônios. Os últimos são nossos arquiinimigos e os inimigos de toda a raça humana.
O apóstolo Paulo avisa-nos dizendo:
“O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge, procurando a quem possa devorar; a quem resiste com firmeza” (1 Pedro 5-8).
Os demônios são incapazes de nos subjugar e nos fazer cair no pecado, por mais poderosos que sejam. Eles só podem nos enganar para que cometamos pecado por nossa própria vontade.

Agradeço a Deus que, pela sua abundante misericórdia e providência providencial, designou um anjo da guarda para cada um de nós. Este anjo acompanha-nos ao longo da vida, inspira-nos a ser virtuosos, guia-nos para o bem, oferece as nossas orações perante o trono de Deus e intercede junto de Deus Todo-Poderoso por nós. Teremos que obedecer à orientação de nosso anjo da guarda e honrá-lo, mas não devemos adorá-lo, porque a adoração de anjos é considerada uma blasfêmia de acordo com o apóstolo Paulo, que diz "nenhum homem engane você de sua recompensa em uma humildade voluntária e adoração de anjos ”(Colossenses 2: 18).

No Apocalipse, João caiu aos pés do anjo para adorá-lo e o anjo disse-lhe: “Olha, não faças isso: Eu sou teu conservo e dos teus irmãos que têm o testemunho de Jesus: Adora a Deus”. (Rev. 19: 10)

A Igreja mantém dias de comemoração de alguns dos anjos honrando-os como santos. Vamos, portanto, honrá-los também, na esperança de nos juntarmos a eles e sermos, assim como eles, os herdeiros do reino dos céus de Cristo para sempre.